Primeiro dia de Terapia... a culpa é sempre da mãe?!

O sujeito decide finalmente começar a terapia, ligou, marcou, encaixou um horário na sua vida caótica, resolveu finalmente investir um dinheiro nele mesmo (!!) , mas e agora, o que falar? Tem tanta coisa para falar, que nem sabe onde começar...será que começa culpando a mãe, logo assim de cara?!

É gente, eu preciso dizer, coitadas das mães! Há um século as coitadas vem sendo culpadas de tudo de ruim que, possivelmente, elas contribuíram para desenvolver em seus filhos. Sim, elas certamente contribuíram.   Mas a gente precisa pensar um pouquinho que na maioria das histórias de vida, é ela também que esteve dia a dia compartilhando as dores e as delicias da vida de seus filhos. Mau humor a mau humor, enrolação a enrolação, chilique a chilique, insegurança a insegurança, ansiedade a ansiedade, são as mães que geralmente estão ali segurando nossa onda. Assim, temos que admitir, há mais possibilidades dela errar também. Não é uma questão de Psicologia, é uma questão de estatística. E você sabe, a estatística é fatal.

Se você é adolescente, ok, ainda tem sentido reclamar e culpar seus pais, pois afinal, eles ainda decidem sobre o seu direito de ir e vir, ou seja, sobre muitas das suas escolhas. É aceitável até certo ponto que você reclame como adolescente...faz parte do processo de amadurecimento apontar o dedo e só olhar para o próprio umbigo. Mas aí você cresce, começa a tropeçar, aprende a olhar para frente e não mais para o seu umbigo (ou deveria se dispor a aprender essas coisas pelo menos). Chegou a hora de sua atitude diante da sua própria vida também mudar: bem-vindo a vida adulta! Não tem mais essa de culpar os pais, agora você toma todas as decisões, e olha que maravilha, pode então ser aquela pessoa bem melhor que você tanto reclamou que seus pais atrapalharam você a se tornar!
Agora, tem que levantar e trabalhar, né? Trabalhar para ganhar dinheiro e se sustentar e sustentar as próprias escolhas. Trabalhar para amadurecer, crescer com os erros e entender os erros alheios. Trabalhar para conquistar sua serenidade e responsabilidade sobre sua vida. Trabalhar, trabalhar, trabalhar... Faz bem para cabeça! :)

Mas e aí, então o que falar no primeiro dia de terapia?!


Postagens mais visitadas deste blog

Essa tal felicidade...

O que você faz quando ninguém está olhando?