"Eu nunca mais vou respirar, se você não me notar..."

Sempre fui um tanto (!) cética, sempre me baseando no lema "confiar, desconfiando". Confesso, que esta tática, na maioria das vezes se mostrou bem útil, difícil de pôr em prática, mas uma maneira de lidar com as expectativas, ou melhor com as consequências das expectativas. Enfim, esse papo de expectativas gera um outro post, outro dia. Mas então, voltando ao meu ceticismo. Comecei a fazer um estágio na faculdade de Psicologia, com aquele senhor branquinho, barrigudinho, de óculos e sorriso fácil no rosto, o Bernard Rangé, que comentei outro dia. Vim a saber que o Rangé, é uma das grandes personalidades que contribuíram para a Terapia Cognitivo-Comportamental no Brasil. E olha que sorte a minha, ele dava aula na UFRJ e ainda dava um estágio em clínica. Bom, corri atrás de fazer a matéria dele, requisito para poder se inscrever no estágio e decidi fazer a prova para concorrer a vaga de estágio. Aquilo tudo, toda a matéria a ser estudada, era natural, fácil de ser absorvida, por mim e por muitos outros, daí a ansiedade para saber se tinha passado não. Ótima notícia, não só tirei 10 na prova da matéria, como minha prova do estágio foi corrigida adicionada a elogios como "nossa, que prova fácil de ler e corrigir, muito bem escrita, super coerente, excelente!". UAU!!Com um elogio desse, comecei bem ;). E assim foi, supervisão toda terça de manhã, atendimentos, estudo dirigido, discussão com os amigos, triagem, várias coisas úteis e várias coisas absolutamente inúteis, como todo estágio que se preze deve ser. Um belo dia, comecei a atender uma paciente com Pânico, Pânico clássico, parecia paciente de livro (o que é uma raridade para um clínico). Era minha primeira paciente com Transtorno do Pânico e teria a chance de aplicar todo o passo a passo aprendido. Como era um estágio, atendíamos e reportávamos as dúvidas (e inseguranças) ao Bernard. Quando chegou o momento de eu ensinar uma tal RESPIRAÇÃO que ajudaria a controlar as crises de Pânico, meu ceticismo falou mais alto. "Peraí, vocês estão dizendo que fazer uma respiraçãozinha de um jeito específico vai mudar o estado de ansiedade da pessoa, não, não creio! Essa eu só acredito vendo!!" E não deu outra...fiquei maravilhada, a tal RESPIRAÇÃO funcionava maravilhosamente bem, do alto de sua simplicidade, foi como um tapa na minha cara. Fiquei ainda mais encantada com a TCC. Adoro coisas simples. Adoro coisas úteis. Adoro coisas que a gente pode fazer sozinho e melhorar nossa vida. Ah, o nome pomposo da tal respiração é : RESPIRAÇÃO DIAFRAGMÁTICA. Tenta aí! 

Postagens mais visitadas deste blog

Essa tal felicidade...

O que você faz quando ninguém está olhando?